Sérgio Moro bate boca com deputado em audiência na Câmara

“capanga da milícia”, afirmou o deputado Glauber Braga; Moro logo rebateu e disse que o parlamentar era um "desqualificado"

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, durante audiência na Câmara — Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil.
O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, durante audiência na Câmara — Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil.

Novamente, uma audiência na Câmara com a presença de Sergio Moro, ministro da Justiça e Segurança Pública, precisou ser encerrada para evitar uma briga entre os deputados.

Tudo começou quando o deputado Glauber Braga (PSOL-RJ) afirmou que Moro era um “capanga da milícia” e que ele atuava para proteger a família do presidente Jair Bolsonaro, o ministro reagiu e chamou o parlamentar de “desqualificado”.

Braga acusou Moro de atuar para que a Polícia Federal, que fica sob o guarda-chuva da pasta, livrasse o senador Flávio Bolsonaro (sem partido-RJ) no caso em que investiga se ele lavou dinheiro com transações imobiliárias.

“O senhor não tem fato, não tem argumentos, o senhor só tem ofensas. O senhor é um desqualificado”.

Sérgio Moro

O ministro então afirmou que Braga não tinha como provar o que estava falando, pois não havia nada que desabone a sua atuação. “A Polícia Federal fez uma investigação, eu sequer li esse relatório. Eu não interfiro no trabalho da Polícia Federal.”

Moro também afirmou que foi o Psol que atuou para “proteger” as milícias durante a votação do pacote anticrime, uma vez que o partido discordou de várias propostas apresentadas pelo ex-juiz da Lava-jato.

Um deles, delegado Éder Mauro (PSD-PA), passou a xingar a mãe do deputado do Psol. Após esse momento, o presidente da sessão, Marcelo Ramos (PL-AM), decidiu encerrar a oitiva.

Abaixo o vídeo da sessão. O confronto ocorre a partir dos 53 minutos:

Sobre Saint Clair Lôbo 23 Artigos
CEO da Loup Brasil, empresário do seguimento de tecnologia. Este será meu espaço para publicação de artigos e notícias sobre o meu segmento e outros assuntos relevantes.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*