18 de September de 2019

Por defender mineração na Amazônia, ONU critica Bolsonaro

Relatório do Conselho de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU) citou o Brasil como exemplo de nação que tem tomado medidas no sentido oposto ao necessário para enfrentar as mudanças climáticas. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

A
promessa do governo Jair Bolsonaro de liberar partes da Amazônia para
mineração, a restrição a demarcar terras indígenas e o enfraquecimento das
proteções e agências ambientais são alvo de críticas.

O documento,
assinado pelo relator sobre pobreza extrema do Conselho de Direitos Humanos da
ONU, Philip Alston, tem foco nos efeitos do aquecimento global principalmente
sobre a parcela da população que já é mais vulnerável. O mundo está caminhando
para um “apartheid climático”, onde os ricos compram saídas para os
piores efeitos do aquecimento global enquanto os pobres têm de suportar o peso,
diz o relatório.

Ainda em 2018,
o Brasil anunciou ter desistido de ser sede da Conferência do Clima da ONU
neste ano. A justificativa oficial foi a falta de verba para receber o evento,
mas Bolsonaro sempre foi crítico de discussões sobre o aquecimento global.

O documento
diz que as empresas têm papel vital nas questões da mudança climática, mas não
podem ser confiadas a observar as condições dos mais pobres.

O post Por defender mineração na Amazônia, ONU critica Bolsonaro apareceu primeiro em BAHIA NO AR.


Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.