Coronavírus, Trump quer comprar a patente de uma vacina alemã exclusivamente para os EUA

O presidente teria entrado em acordo com uma empresa privada vinculada a um instituto público de pesquisa. Um bilhão de dólares, mas apenas para pacientes americanos. O governo de Berlim tenta bloquear o plano.

Donald Trump quer comprar vacina e distribuir somente para os americanos.
Donald Trump quer comprar vacina e distribuir somente para os americanos.

BERLIM – Donald Trump está tentando comprar a patente de uma vacina contra o Covid-19 de uma empresa alemã exclusivamente para os Estados Unidos . O presidente americano supostamente ofereceu 1 bilhão de dólares à empresa farmacêutica CureVac, que trabalha com o antídoto e está em um estágio avançado de desenvolvimento. A oferta encontra a firme oposição do governo alemão, que tenta manter a vacina na Alemanha, para distribuí-la também no resto da Europa. Quem refelou essa informação foi o semanal Welt am Sonntag, que cita fontes do governo e explica em detalhes a manobra do chefe da Casa Branca, uma demonstração plástica do que Trump quer dizer quando fala em América primeiro.

A renúncia e a reunião na Casa Branca

A CureVac é uma empresa privada com sede em Tübingen, conectada ao Paul-Erhlich-Institut, o Centro Federal de Pesquisa de Vacinas e Medicamentos Biomédicos. No início de março, Daniel Menichella, CEO da empresa, participa de uma reunião privada com Donald Trump na Casa Branca, juntamente com os principais chefes dos principais grupos farmacêuticos americanos. Oito dias depois, de repente e sem motivo aparente, Menichella renuncia à liderança do CureVac. Para substituí-lo é Ingmar Hoerr, o homem que Menichella havia demitido dois anos atrás. Na declaração oficial anunciando a mudança no topo, há uma referência vaga, mas agora significativa, à vacina: “O CureVac possui uma ótima equipe, habilidades extraordinárias e grande potencial. A vacina Covid-19 desempenha um papel fundamental”.

A queixa do governo

Agora as fontes do governo alemão esclarecem, denunciando abertamente a operação. Trump “comprou” Menichellae agora ele está pressionando o CureVac oferecendo uma montanha de dinheiro para obter a vacina: “Mas apenas para os Estados Unidos”, é a condição apresentada pelo presidente americano. Berlim está tentando impedir. Não seria um problema se fosse a busca pelo Paul-Ehrlich-Institut, que pertence ao estado. Mas o CureVac é privada e uma proibição de vendas só seria possível em determinadas circunstâncias. É por isso que os ministérios da saúde e da economia buscam outro caminho, em primeira instância, o de negociar com o grupo Tübingen. Com algum sucesso aparente, como o CureVac anunciou ontem, está trabalhando “em uma vacina para o mundo inteiro e não para países individuais”.

O caminho Schengen

No caso de uma falha na negociação, o governo de Berlim acredita que o caso do CureVac poderia desencadear as circunstâncias excepcionais previstas no acordo de Schengen. De fato, estamos na presença do desenvolvimento de um medicamento necessário para a sobrevivência humana, que afeta a segurança nacional. O artigo 6 do código Schengen afirma que os controles nas fronteiras devem contribuir, entre outras coisas, “para impedir qualquer ameaça à segurança interna, ordem pública e relações internacionais dos Estados-Membros”. Como se dissesse que, ao tentar garantir uma vacina europeia apenas para seus compatriotas, Donald Trump é uma ameaça à nossa segurança interna e ordem pública. Essa seria a arma legal extrema para decidir sobre a proibição da venda da vacina no exterior. Mas a história é muito maior que o sucesso ou fracasso da negociação no caso específico. “Enfrentamos uma ameaça global – explica Michael Huether, chefe da IW, Instituto de Economia Alemã de Colônia – e não é admissível que um chefe de governo tente garantir possíveis medicamentos exclusivamente para sua população “. Em outras palavras, um mundo dominado pela lógica “meu país primeiro”, primeiro meu país, não tem esperança de lidar com as pandemias globais.

Sobre Saint Clair Lôbo 10 Artigos
CEO da Loup Brasil, empresário do seguimento de tecnologia. Este será meu espaço para publicação de artigos e notícias sobre o meu segmento e outros assuntos relevantes.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*