32 milhões de trabalhadores podem ficar sem renda e sem auxílio emergencial, diz estudo

Um estudo realizado por um grupo de pesquisadores ligado à Universidade de São Paulo (USP), afirma que os limites impostos pela lei e a centralização da execução do programa do Auxílio Emergencial de R$600 do Governo Federal, impedem o acesso de 32 milhões de pessoas ao benefício. Essas pessoas não terão como receber o dinheiro, porque têm vínculo formal com o trabalho, ou por causa das restrições da lei, que limita os pagamentos a dois beneficiários por domicílio.

Ainda de acordo com o estudo, apesar de possuir vínculo formal, esses trabalhadores não podem contar com o seguro desemprego se forem demitidos, porque não se enquadram nas regras do programa, por exemplo. Além disso, outras seis milhões de pessoas não conseguirão acesso ao auxílio emergencial por causa do limite de beneficiários por domicílio.

Existem também 7,4 milhões de trabalhadores em condições de receber o dinheiro, mas que precisam se cadastrar no aplicativo da Caixa e não têm acesso à internet. Há também aqueles que mesmo tendo acesso encontram dificuldades para lidar com a tecnologia adotada pelo governo.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*