20 de November de 2017

World Cup Bahia de Jiu Jitsu foi encerrado neste domingo

Durante dois dias, o tatame da Associação Atlética Banco do Brasil, no bairro de Piatã, reuniu mais de 1.500 atletas dos Estados Unidos, Noruega, Espanha, Argentina, França, Itália, Brasil entre outros países, com a realização do Word Cup de Jiu Jitsu Olímpico, encerrado neste domingo (29/8).  O sucesso do evento, que atraiu um grande público nas arquibancadas, levou à confirmação da vinda a Salvador do American Gold Cup, em 2011. A competição internacional, organizada pela Federação Baiana de Jiu-Jitsu (FBJJ), integra o calendário da Confederação Brasileira de Jiu-Jitsu Olímpico, e teve o apoio da Superintendência dos Desportos do Estado da Bahia – Sudesb.

De acordo com o presidente da CBJJO, Walter Nogueira, a Bahia recebeu  este mesmo evento  em 2004, com a presença dos melhores faixas pretas do Brasil e do  mundo.  “Seis anos depois, voltamos a realizar o mundial em Salvador e a acolhida do baiano, como sempre, foi sensacional. Hoje, primo pelo jiu jitsu educacional.  As federações têm dado oportunidades  às pessoas carentes de praticarem o jiu jitsu, e este evento dá chance a todos de  participar, sem custos,  de uma competição de alto nível. Portanto é muito importante o incentivo do Estado em um evento assim, para que o esporte cresça”, analisa Nogueira.

Durante todo o dia do sábado (28/08) foram disputadas as competições nas faixas branca e azul, infanto-juvenil, juvenil, adulto e máster, masculino e feminino.

Raça e técnica. Esta, segundo o baiano Manoel Musetto, foi a combinação que o levou a conquistar a medalha de ouro no peso absoluto.  O atleta, de 16 anos, começou a praticar o jiu jitsu  há quase dois anos e, desde então, já obteve vários títulos, como o de campeão baiano juvenil neste ano, e outros bons resultados como o vice-campeonato Panamericano da categoria no ano passado. “Agora vou intensificar meus treinamentos, visando o Panamericano que acontecerá em outubro, em Brasília. Se você treina duro, a luta fica mais fácil” acredita o jovem atleta.

Neste  domingo (29/08) os confrontos foram entre os representantes das faixas  roxa, marrom e preta masculino, peso e absoluto. Um grande exemplo de superação foi dado pelo atleta  da cidade de Ipiaú, Alberto Nery, que, mesmo com os dois braços amputados, fez uma bonita luta, empolgando a galera, e ficou com a medalha de prata. “Há dez anos, pratico esta modalidade esportiva. No mundial de 2004, fiquei em sétimo lugar e, neste agora, em segundo. Quem sabe no próximo chego ao topo. Realmente, estou muito feliz com este  resultado”, declarou.


Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*