20 de November de 2017

Pan-Americano de Jiu-Jitsu esportivo acontece até domingo 25/10

Começou, na tarde desta quinta-feira (22/10), o terceiro Pan-Americano de Jiu Jitsu Esportivo, e o segundo realizado na Bahia, no Sesc Piatã, com o apoio do Governo do Estado, por meio da Superintendência dos Desportos do Estado da Bahia (Sudesb), e Federação Baiana de Jiu Jitsu. A competição será realizada até domingo (25/10). No primeiro dia, as disputas aconteceram entre os atletas das diversas categorias de faixa branca.

A competição será realizada até domingo (25/10).
A competição será realizada até domingo (25/10).

Para os próximos dias, as disputas começarão sempre pela manhã. Na sexta-feira (23/10), será a vez de os atletas da faixa azul participarem. No sábado (24/10), os atletas de faixas roxa e marrom. E domingo (25/10), fechando a competição, os mais graduados, da faixa preta, estarão no centro das atenções.

Para o presidente da Federação Baiana de Jiu Jitsu, Ricardo Carvalho, é muito importante trazer este evento pela segunda vez para Bahia, tendo em vista, que os atletas não precisam se deslocar para outros estados e, assim, competir com número maior de atletas. “Tivemos o Mundial no estado de São Paulo, e só levamos 40 atletas, isso porque, dependíamos de passagens e hospedagens, agora na Bahia, colocamos cerca de 400 atletas para competir”, disse Carvalho, acrescentando que pretende trazer eventos Internacionais nos próximos anos. Quem sabe até o Mundial.

Através do trabalho social que é incorporado na Federação Baiana Jiu Jitsu, o atleta faixa preta peso médio Carlos Eduardo, o Cadu, acredita sair da competição com a medalha de ouro no peito. Muito treinamento e concentração, Cadu espera que a boa terra traga sorte na briga por medalhas. “A expectativa é grande porque além de ser na Bahia, em minha casa, a gente treinou muito para competir neste evento. Tudo está a nosso favor, o local, a torcida, meus familiares, não tem essa de adversário forte, se cair comigo vai ser parada dura”, disse, confiante, Cadu.

O professor Edson Carvalho, um dos fundadores da Federação Baiana, hoje se orgulha e vê um bom momento do Jiu Jitsu na Bahia. Desde o ano de 2000, Edson mora nos Estados Unidos, treinando Policias Militares e da Inteligência Internacional, além de aulas para crianças. “Isso é a realização de um sonho porque quando a gente fundou a Federação, estava muito distante de tudo isso. Plantamos uma boa semente em solo bom e, hoje, estamos vendo o resultado. O Campeonato Pan-Americano é a prova de um trabalho bem feito. Acreditamos muito, que através do esporte podemos influenciar jovens para sair das drogas”, orgulha-se o professor Carvalho.

A Superintendência disponibilizou apoio financeiro para os gastos com infra-estrutura, premiação, material promocional e de divulgação do terceiro campeonato Pan-americano, que conta com a participação de mais de mil e quinhentos atletas de todo o continente americano.A autarquia apóia o evento por reconhecer a importância de receber competições internacionais de grande nível como essa, que fazem parte da política do Governo do Estado de colocar a Bahia, cada vez mais, na rota dos grandes eventos esportivos nacionais e internacionais. Além de ser um incentivo para os atletas locais que têm a possibilidade de disputar a competição em sua terra natal e os mais jovens que se sentem motivados por verem os grandes competidores de perto.


Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*