7 de January de 2017

Gregório Duvivier, Maria Ribeiro e Xico Sá em “Você é o que lê”

(Imagem/Carla Galrão)

Um dia antes do evento, as senhas para a entrada se esgotaram em 10 minutos. No dia, 1 hora antes já era possível encontrar pessoas que aguardavam ansiosamente o evento “Você é o que lê” com os escritores Gregório Duvivier, Maria Ribeiro e Xico Sá, que aconteceu nesta terça-feira (10), na Livraria Cultura, do Salvador Shopping, na Bahia.

Com o auditório da Livraria Cultura, do Salvador Shopping, lotado foram 1 hora e meia de muita descontração e depoimentos que ressaltaram a influência da leitura na infância e na formação dos autores. Mas os assuntos foram diversos. Foi do Mercado do Peixe, no Rio Vermelho, ao Impeachment de Dilma.

Na oportunidade, eles destacaram algumas obras literárias que marcaram suas vidas e que contribuíram para a produção dos seus livros. Duvivier e Maria Ribeiro lembraram a importância da coleção Para Gostar de Ler, que reunia crônicas de Rubem Braga, Fernando Sabino, Paulo Mendes Campos e Carlos Drummond de Andrade.

Imagem/Caroline Bitencourt)
(Imagem/Caroline Bittencourt) Durante a Coletiva de Imprensa

“Eu sou muito grato à crônica, ela é arrebatadora. Comecei a escrever querendo imitar o estilo de Paulo Mendes Campos, de Luis Fernando Veríssimo, de Antônio Prata – eu comprava a revista Capricho para ler as colunas de Antonio Prata! E assim como a crônica, a poesia tem uma penetração maravilhosa. Bandeira, Drummond, esses caras têm poesias dignas de agendas de adolescentes. Acho que há uma irmandade entre poesia e crônica, já que as duas são positivamente apelativas”, conta Duvivier.

Ao serem questionados sobre a influência da internet na revelação de novos escritores, eles afirmam achar uma maravilha, pois dão à literatura um novo público que se sente atraído com uma linguagem mais simples e jovial. “Eu sempre escutei que nunca deveria publicar nada antes dos 30 anos pois iria me arrepender, mas você vai mesmo, seja antes ou depois dos 30. O livro ele é bom levando em conta também a idade de quem escreveu e esses novos escritores trazem uma característica própria da juventude.”, afirmou Gregório

Já Maria Ribeiro enfatizou a importância da liberdade dos autores em publicarem seus próprios livros. “É algo muito democrático isso de poder o próprio autor publicar seu livro. Normalmente, as editoras só pagam 10% por aquilo que foi você quem se dedicou 100%. E é muito bom ver essas novas possibilidades através da autopublicação”.

Com espaço para perguntas, eles responderam questionamentos da plateia sobre política, vida pessoal e interação nas redes sociais. O evento ainda passará por: Recife,Fortaleza, São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Brasília e Belo Horizonte


Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*