24 de November de 2017

Bahia divide liderança do Brasileiro de Surf com Santa Catarina

O primeiro dia (28/5) da etapa baiana do circuito brasileiro de Surf amador foi de grande movimentação na praia de Jaguaribe em Salvador. E a equipe da casa largou bem na competição, terminando o dia na liderança por equipes, empatado com os catarinenses, com 52 pontos. Os campeões desta etapa, que é a primeira do circuito, serão definidos no domingo (30/5). O evento conta com o apoio do Governo do Estado, por meio da Sudesb, e do Faz Atleta.

Felipe Braz na onda. Foto: Fabriciano Junior
Felipe Braz. Foto: Fabriciano Junior

Os principais destaques individuais desta etapa, até o momento, são: Victor Valentim, do Paraná, e Marcelo Alves, da Bahia, na categoria Open (sem limite de idade), e Sidnei Guimarães, de São Paulo, e Demi Brasil, da Bahia, e Krystian Kymmerson, do Espírito Santo, na Júnior (até 18 anos).

O circuito, que tem etapa na Bahia desde 2003, irá definir a equipe brasileira para o Mundial e para o Pan-Americano. A competição vem agradando o público e os atletas de todo o País. Um dos destaques do circuito de 2009, o surfista baiano Iago Silva acredita que esta competição é uma porta que se abre para grandes conquistas neste esporte. “O campeonato é muito bom. É onde os melhores atletas do País se reúnem, espero fazer a minha parte e representar o Brasil no Mundial”, confia Iago, que se classificou para a segunda fase na categoria Open.

Vicente Romero na sua bateria. Foto: Fabriciano Junior.
Vicente Romero na sua bateria. Foto: Fabriciano Junior.

Nos três últimos anos o Brasil vem chegando forte nas competições internacionais com uma nova safra de surfista. Nomes como Jadson André, Gabriel Medina, Marco Fernandez, Ian Gouveia, Alejo Muniz e Matheus encabeçam a lista desta nova geração.

O presidente da Confederação Brasileira de Surf (CBS), o baiano Adalvo Argolo, se diz orgulhoso em poder sediar esta competição na Bahia pela sétima vez seguida. “Desde 2003 que a gente consegue trazer este evento para nosso Estado, talvez pela qualidade das ondas, e, com certeza, pelo apoio que nós temos do Governo do Estado, por meio da Sudesb. Isso facilita muito para que nós venhamos outras vezes. O futuro do Surf do Brasil está aqui”, disse Argolo.


Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*